Se prepare, você ainda vai ser vítima de um crime digital

traço

Fev 05, 2015

Se prepare, você ainda vai ser vítima de um crime digital

Você já foi vítima de golpes na internet? Os crimes virtuais estão cada vez mais sofisticados.

Os mortais têm medo de fazer compra via internet, consultar ou pagar contas utilizando smartphone e os mais velhos acham um absurdo ligar para uma pessoa que nunca viu e fazer transações financeiras por telefone.


Os imortais, todos os sabidos conhecedores de tecnologia, compram tudo via internet, não descolam dos smartphones e utilizam tudo a todo momento se vangloriando que não são trouxas e jamais irão cair em arapucas digitais.


Infelizmente as pessoas tem uma facilidade para utilizar sua inteligência muito mais para produzir coisas ruins do que boas, e arapucas digitais com alto requinte estão proliferando em larga escala. Diferentes dos roubos a mão armada ou golpes presenciais, a maioria das arapucas são produzidas em qualquer lugar, sem risco físico e quase sempre no absoluto anonimato.


Certamente algumas são elaboradas com informações privilegiadas de quem está dentro do sistema bancário, porque é impossível para o mais brilhante dos criminosos cibernéticos obter todas as informações necessárias em tempo hábil para conseguir executar com tanta precisão um golpe.


Identificar que a data do seu cartão de crédito ou débito está próxima a vencer, saber todos os seus dados cadastrais, do nome, endereço, CPF, data de nascimento e até o número da sua conta e agência sem acessar os dados do seu banco não é uma missão para qualquer um.


Um novo golpe é digno de aplausos e cuidados. Os criminosos, sabendo que a maioria das pessoas que tem conta em banco não caem mais em golpes de ligação solicitando senha para atualização cadastral, criaram uma nova modalidade que com sutileza pode passar despercebida, eles emitem uma correspondência com o timbre do banco informando que você receberá um novo cartão, enviam para sua casa pelo correio, você naturalmente abre a correspondência absorve a informação e aguarda a chegada do novo cartão.


Alguns dias depois preferencialmente no meio da manhã ou no meio da tarde quando a maioria das pessoas estão atarefadas com o dia a dia, os criminosos efetuam uma ligação a partir de um telefone com o número bloqueado e utilizando-se de uma mulher com uma voz macia típica de atendente de call center para executivos se identificando como funcionária do banco e prontificando-se a fazer o agendamento para a entrega do seu novo cartão.


Como você recebeu uma correspondência há poucos dias inicialmente não estranha a ligação. Ela confirma várias informações como: seu nome, CPF, número de conta e você nem pode imaginar que uma ligação para agendamento da entrega de um novo cartão esconde um crime.


Depois de um banho de gentilezas, a atendente pede para você confirmar o agendamento no atendimento eletrônico, a transferência é realizada e uma unidade de atendimento eletrônico fornece instruções com a voz muito semelhante a aquela que você está habituado a ouvir quando liga para o seu banco. Ela solicita a sua senha e logo após confirma o agendamento. A ligação volta para a atendente que passa o número do protocolo e se coloca à sua disposição.


Pronto, você nem percebeu, mas acaba de ser roubado, em poucos minutos um bombardeiro de compras começa a acontecer. Estas só cessam depois de não restar mais nada na sua conta.


A sensação de se sentir roubado de uma maneira que até pouco tempo você se achava inatingível é muito ruim. Alguns conceitos caem por terra e você se sente um idiota.


Aprendemos todos os dias com coisas boas e ruins e com um evento como esse não seria diferente, redobre sua desconfiança ao atender a sua próxima ligação, ou ao acessar um site, pense sempre que mesmo sem perceber você poderá ser roubado.


Deixe seu comentário


Recentes

traço

A Visão Empreendedora de Oportunidade

Pode ser a principal característica que define um empreendedor?


Motivações e Necessidades

Elementos do processo de transição para empreendedor.


A importância do autoconhecimento!

O quanto você se conhece?