Você tem capital para empreender ou crescer na carreira?

traço

Jan 05, 2017

Você tem capital para empreender ou crescer na carreira?

Como está o seu saldo?

Por Elber Mazaro


Na minha pesquisa para o mestrado profissional em empreendedorismo da FEA/USP, que trata da transição de executivo a empreendedor, após o entendimento sobre o que é ser empreendedor e como se pode fazer uma transição de identidade de carreira, o terceiro pilar da dissertação se baseia em planejamento estratégico pessoal, para que se possa definir como os objetivos definidos para a transição estudada serão atingidos.


O Planejamento Estratégico Pessoal (PEP) é uma adaptação de técnicas e ferramentas utilizadas por empresas, utilizado para planejar a evolução pessoal e profissional de alguém (uma pessoa).


Considerando-se as necessidade de um empreendedor, podemos ter os seguintes produtos do PEP: um planejamento financeiro em preparação aos desafios de se montar um negócio, um plano de marketing para posicionar o seu produto / negócio e a si mesmo no mercado, uma SWOT que identifique as oportunidades a serem priorizadas, as ameaças que devem ser monitoradas, as fortalezas a serem exploradas e as fraquezas para serem minimizadas.


O PEP também pode ter como base os seus valores (veja artigo específico sobre valores pessoais, neste canal) e muitas vezes estes são mais fortes e influentes nas decisões a serem tomadas que a busca por uma missão ou visão, como no planejamento estratégico de uma empresa tradicional.


Mas após estudar o PEP e outros temas relacionados à inovação, cheguei a uma proposta de trabalhar o PEP com a visão do desenvolvimento de “3 capitais”. Quando falamos em capital, muitos empreendedores e executivos imediatamente pensam na questão financeira, de dinheiro para investir e tocar o negócio. E sim este é o primeiro capital que precisa ser trabalhado por quem deseja fazer uma transição de carreira, principalmente se for para o empreendedorismo e de uma certa forma isto fica claro que precisa ser bem planejado no PEP.


O segundo capital da lista, é o capital intelectual. Eu costumo chamar este de o seu repertório. Seu conhecimento e sua experiência, que podem ser aplicados em um negócio ou empresa. Sua capacidade de gerar valor com base no que você sabe e pode por em prática. Todo profissional, empreendedor ou não, deveria estar focado em aumentar seu capital intelectual.


Se você não atualiza seu repertório (conhecimento e experiência), ele pode ficar obsoleto / ultrapassado e consequente deixar de gerar valor para as pessoas e negócios. Cursos, projetos, livros, pesquisas e outras formas podem te ajudar e aumentar seu capital intelectual, mas nada melhor que a prática, ou seja a busca por experiências profissionais que enriqueçam seu repertório.


O terceiro capital que deve ser trabalhado é o capital social. Este é sua rede de contatos e relacionamentos. Assim como o capital intelectual, o capital social deve ser trabalhado e aumentado o tempo todo. Não adianta pensar nisto apenas quando estiver procurando emprego ou montando seu negócio.


Costumo sugerir na mentorias profissionais, que você deve avaliar seu capital social com foco no relacionamento e no poder. Isto não é uma forma de filtrar sua amizades com algum tipo de preconceito, mas sim considerar o valor que você tem na sua rede de contatos.


Pessoas mais próximas, com quem você tem um forte relacionamento, estariam mais propensas a te ajudar, te apresentar outras pessoas, e contribuir no seu empreendimento ou na sua carreira. Mas também são muito valiosos os contatos e conhecidos com quem seu relacionamento ainda é fraco mas que tem muita influência, atividade, participação e poder, considerando alguma área de atuação e oportunidade, a qual pode ser justamente de seu interesse ou necessidade, seja pessoalmente, profissionalmente ou para o seu negócios.


Estes relacionamentos, com sua rede, devem ser planejados para que possam ser úteis e considerados como um bom capital social e portanto deveriam fazer parte de um Planejamento Estratégico Pessoal, principalmente se você tem o objetivo de empreender ou crescer na carreira profissional. Não se trata de puxar saco ou marcar cafés apenas para um “papo”, e sim de trocar ideias, manter contato, discutir realizações, lembrar de datas importantes, de ajudar, de aprender com outras pessoas.


Portanto uma abordagem simplificada para a embasar um Planejamento Estratégico Pessoal é o desenvolvimento de planos e ações que façam o seu próprio capital humano, crescer e neste caso através do capital financeiro, intelectual e social. Isto também se aplica a uma startup ou mesmo a uma empresa que pode planejar e avaliar seus negócios considerando estes três pilares do capital.


Também recomendo em uma abordagem mais complexa e mais completa que considere o capitalismo sustentável, onde a geração de valores, os planos e as ações não se aplicam apenas para produção de riquezas aos acionistas, através da maximização do lucro (olhando pelo lado pessoal, do PEP, para você mesmo); mas sim, criando valor para todos os “stakeholders”, como empregados, fornecedores, clientes, sociedade, meio-ambiente etc. No lado pessoal o capitalismo sustentável pode ser visto como a busca por um equilíbrio com a família, os amigos, a comunidade, enquanto você busca o aumento dos seus três capitais: financeiro, intelectual e social.


Qual é o seu plano?


Como está seu saldo nos “capitais” mencionados?


Nunca é tarde para cultivar e desenvolver os capitais aqui discutidos, mas este deve ser um processo contínuo, um hábito a ser adotado como o planejamento, e para isto o próximo passo é o mais importante. Já começou?


 


Imagem: <a href='http://www.freepik.com/free-vector/business-icons-collection_805262.htm'>Designed by Freepik</a>


 


Deixe seu comentário


Recentes

traço

Empreender onde conhece e gosta

Recomendação para os executivos que avaliam a possibilidade de empreender.


A Visão Empreendedora de Oportunidade

Pode ser a principal característica que define um empreendedor?


Motivações e Necessidades

Elementos do processo de transição para empreendedor.