A importância do autoconhecimento!

traço

Jul 06, 2017

A importância do autoconhecimento!

O quanto você se conhece?

Por Elber Mazaro


A minha dissertação de mestrado está quase pronta. Venho escrevendo artigos, desde o início, há dois anos, compartilhando aprendizados, pesquisas e experiências relacionadas ao meu processo junto ao Mestrado Profissional em Empreendedorismo da FEA / USP, onde estou pesquisando e escrevendo sobre a transição de executivos para o mundo empreendedor.


Conforme já escrevi em outras oportunidades, a minha pesquisa possui três pilares teóricos, que são: a percepção do executivo sobre o empreendedor (comportamento e perfil); a transição de identidade de carreia e; o planejamento estratégico pessoal.


Estou na fase final da produção da dissertação, escrevendo a análise dos resultados das minhas pesquisas e as conclusões, portanto ainda tenho conteúdo para muitos artigos com ideias interessantes sobre tudo que aprendi neste processo, mas hoje vou focar em um tema, que eu já abordei com o artigo Quem Sou Eu?, o autoconhecimento, que agora veio a se destacar novamente na pesquisa que realizei com 10 executivos de primeiro escalão, que fizeram sua transição para o empreendedorismo, montando seus negócios próprios.


Lembrando que eu entrevistei estes 10 executivos empreendedores para entender e explorar o processo de transição para uma nova posição profissional, independente e empreendedora, que todos realizaram pelo menos uma vez. O método adotado foi de entrevista semiestruturada e em profundidade (duração média foi de 1 hora para cada entrevista), e análise do conteúdo para avaliar as transcrições de todas as entrevistas.


Entrando no tema, e evitando a parte técnica do método adotado, chamou muito a minha atenção que entre 110 códigos que criei com temas relacionados aos três pilares teóricos mencionados, o código que apareceu em todas as dez entrevistas, com destaque, foi o do autoconhecimento. Este item também se fez presente e fundamental na pesquisa bibliográfica que fiz sobre os três pilares teóricos. A minha conclusão é que este componente é fundamental para empreendedores, executivos, transições de identidade de carreira e planejamento pessoal (estratégico se possível), entre tantas coisas.


O autoconhecimento aparece como o alicerce na construção de planos pessoais e profissionais. É a base ou o ponto de partida de muitos processos e projetos.


Quando os entrevistados da minha pesquisa falaram sobre autoconhecimento, eles não se referiram apenas ao que eu já abordei, do saber definir “quem sou eu” de maneira ampla e gerando um posicionamento, e sim como um exercício muito positivo, e que traz uma contribuição importante; também percebida nos processos de mentoria e gestão de carreiras que tenho conduzido.


O autoconhecimento aplicado à transição de executivo a empreendedor, também considera quais são as minhas características profissionais que podem ser aproveitadas no mundo empreendedor e quais podem ser um obstáculo ou desafio. Quais são as suas necessidades e motivações? O que é fundamental para você? Será que tenho o perfil para ser empreendedor? Como será o meu comportamento e determinadas situações comuns a quem tem monta o seu próprio negócio?


Quando olhamos o processo de transição de identidade de carreira, precisamos entender onde estamos no momento, qual é a nossa identidade atual e isto representará o nosso ponto de partida.  O processo de mudança implica em entender o que não está agradando ou qual o motivo que está gerando este sentimento de necessidade de busca por algo diferente e novo.


Vamos precisar analisar e muitas vezes abandonar hábitos, relacionamentos e conceitos que aprendemos para podermos embarcar em uma jornada de experimentação, aprendizados e auto-avaliações contínuas, em busca de novos objetivos e destinos ou novas identidades profissionais.


Já no Planejamento Estratégico Pessoal, o autoconhecimento, se mostrou essencial, onde podemos usar técnicas normalmente aplicadas a empresas para planejar melhor nossa vida e atingirmos nossos objetivos. Nas empresas iniciamos a conversa  de planejamento estratégica, pela busca da Visão e Missão, e hoje em dia no planejamento pessoal é muito comum a pergunta sobre qual o seu propósito de vida, equivalente a missão discutida nas empresas.


Outro elemento de autoconhecimento, importantíssimo para o planejamento pessoal, é a clara definição dos seus valores pessoais. Os valores pessoais reais e não projetados (que você gostaria ter ou que “ficaria bem na foto”). Normalmente eu busco ajudar os profissionais, a definirem seus cinco principais valores, e após validarmos estes com outras pessoas que conhecem bem o mentorado, nós tomamos estes como um checklist para qualquer decisão importante, não só na carreira profissional mas também na vida pessoal, no dia-a-dia.


Toda vez que você precisa tomar uma decisão importante, como por exemplo a mudança de emprego, a recomendação é você checar se a proposta de mudança está alinhada com todos os seus valores pessoais. Além dos valores pessoais, o Planejamento Estratégico Pessoal também pede uma análise sobre suas fortalezas e fraquezas e se olharmos para o lado de empreendedorismo, uma boa análise das oportunidades e ameaças, que pode nos levar a definir áreas em que precisamos melhorar ou buscar uma complementariedade, como exemplo competências necessárias para empreender, que nos levam a sócios e parceiros.


Realmente o autoconhecimento tem um papel fundamental em nossas vidas. Em muitos casos o autoconhecimento se dá com o aumento da nossa consciência. Muitas das nossas atitudes, ações e reações, são definidas, iniciadas e motivadas em um nível inconsciente, mesmo que tenhamos uma justificativa ou explicação criada posteriormente. Em estudos sobre hábitos de compra, é muito comum dizer que a grande maioria de nossas decisões é inconsciente e isto nos leva a comprar por impulso, coisas que não precisamos, ou com valores não adequados a nossa realidade.  Aumentar nossa consciência sobre o que está ocorrendo ao nosso redor, e sobre o porque nos comportamos de determinada maneira ou tomamos uma decisão ou evitamos algo, pode nos ajudar em uma jornada em busca da felicidade, nos mostrando algo que não sabemos sobre nós mesmos.


A busca por autoconhecimento pode ser dar em vários níveis, desde processos de reflexão, sozinho, simples e de curta duração, até em sessões com foco psicológico e apoio profissional, que podem ter um período indeterminado. Toda iniciativa é bem-vinda, e se possível deveria contar com algum tipo de apoio. É certo que faz bem e que   sua carreira, sua vida pessoal e a sua jornada só vão se beneficiar do crescimento do seu autoconhecimento.


Então? O quanto você se conhece?


Já percebeu que pode não ser o suficiente?


Por que não ir um pouco além?


Creio que está comprovada a importância do autoconhecimento, do aumento da consciência e que isto faz bem para as pessoas. Em breve teremos mais artigos onde este elemento aparecerá em conjunto com vários outros, relevantes para os empreendedores, profissionais, executivos e estudantes.


 


Imagem: <a href="http://www.freepik.com/free-vector/school-knowledge-concept_763296.htm">Designed by Freepik</a>


 


Deixe seu comentário


Recentes

traço

A Visão Empreendedora de Oportunidade

Pode ser a principal característica que define um empreendedor?


Motivações e Necessidades

Elementos do processo de transição para empreendedor.


O Capital Social do Executivo e do Empreendedor!

O que você tem feito pelo seu Capital Social?