Processos mais ágeis e interativos

traço

Mai 18, 2015

Processos mais ágeis e interativos

Como seria um processo seletivo ideal para estágio e trainee?

Cansativos e longos. Assim a maioria dos candidatos a programas de estágio e trainee definem os processos seletivos. A informação parte de uma pesquisa feita com 15 mil pessoas pela consultoria E-guru& Clave para identificar a percepção dos candidatos sobre processos de seleção.


O dado é um “soco no estômago” dos profissionais de recrutamento e seleção, segundo Andrea Krug, sócia-diretora da E-Guru & Clave. “A maioria das opiniões sobre os processos seletivos é negativa, ou seja, os jovens não têm coisa bacana para falar e isso significa que tem algo errado que as empresas e nós, profissionais da área de recursos humanos, estamos fazendo nos processos seletivos”, diz Andrea.


O cansaço foi o ponto mais citado em relação às seleções: 42,2% dos participantes usaram o termo cansativo para definir os processos seletivos. A duração excessiva é fator marcante das seleções para 37,7%. O termo positivo mais usado pelos participantes foi interessante, com 29,6% das respostas. Mas, novamente, outro ponto negativo aparece: para 27,1% os processos apresentam exercícios que não avaliam.


E os jovens têm razão, segundo a especialista. “Muitas vezes a preocupação é atrair milhares de candidatos e não há alinhamento entre a estratégia de atração de talentos e o processo seletivo”, diz.


Com grande parte dos participantes (87,5%) na faixa etária de até 31 anos e quase metade (40,8%) com nível superior completo, o levantamento atinge o público alvo das organizações em busca de jovens talentos. A região Sudeste, local da maioria das oportunidades profissionais, é também de onde parte a maior amostra de respondentes: 86,8%.


 


Confira como seria o processo seletivo ideal, na opinião dos entrevistados:


1. No processo seletivo ideal há games


Para 79,8% dos participantes, os games são, entre as ferramentas existentes, as que avaliam melhor as competências dos candidatos. A resposta surpreende já apenas 33,5% já tiveram a experiência de participar de um game em processo seletivo.


E por que os games são melhores para avaliar? Para 45,7% dos participantes é o fato de um game reunir avaliações de elementos técnicos e comportamentais. A interatividade também aparece nas respostas de 20,7% dos entrevistados. “Os games são mais interativos, divertidos e contextualizados”, diz Andrea Krug.


2. Os jogos e provas acontecem em plataformas online


A maior parte dos entrevistados, 64,6%, prefere as plataformas online na hora de fazer provas e participar de games durante processos seletivos. Desktops e notebooks ficam com a preferência de 56,9% e os dispositivos móveis – smartphones e tablets – são as escolha de 7,7%. Muitas vezes temidas, jogos e provas em dinâmicas de grupo tiveram 33,3% das escolhas, de acordo com o levantamento.


3. Mas, o primeiro filtro de análise é o currículo


O currículo deve ser o primeiro elemento de filtragem de candidatos, na opinião de 59% dos entrevistados. Os investimentos dos jovens na formação acadêmica podem explicar a importância que o currículo deve ter nos processos seletivos, na visão dos candidatos.


Mas, na opinião de 22,2%, o processo seletivo ideal teria provas como filtros iniciais e, segundo 14,7%, os games seriam o começo ideal de uma seleção. 


4. O processo ideal tem entrevistas individuais


“Os games são ótimos, mas ninguém abre mão do olho no olho”, diz Andrea. A fase do processo seletivo que melhor avalia candidatos, segundo os entrevistados é a entrevista individual. De longe é a etapa que mais se destaca nas respostas dos participantes, com 65,5% da preferência.


Estudo de caso e apresentação individual também foram etapas citadas, com 12,6% e 10,1% das respostas, respectivamente.


5. A comunicação é ativa e está presente durante todo processo


“Os candidatos querem receber informações mais precisas sobre o processo seletivo e também sobre a vaga”, diz Andrea Krug. A comunicação, de acordo com ela, é um ponto fraco em muitos processos. O  ideal, na opinião dos jovens, é que a empresa vá além de mensagens pontuais sobre datas das próximas etapas da seleção. 


6. No fim do processo seletivo ideal, o feedback é personalizado


Respostas como, por exemplo, “o seu currículo seguirá na nossa base de dados” são frustrantes e estariam de fora de um processo seletivo ideal.


Interessados em se aperfeiçoar e se desenvolver, jovens querem ter a oportunidade de receber avaliações individuais de desempenho. Esse é um dos principais segredos de uma experiência positiva para candidatos aprovados e reprovados nas fases finais.


Andrea Krug conta que já teve a oportunidade de fazer avaliações específicas para finalistas em seleções de trainee. “Foram centenas de laudos, mas você não tem ideia da alegria e gratidão dos candidatos por essa ação”, diz.


 


FONTE: Exame


Recentes

traço

A importância do poder de adaptação

Poder de adaptação


O lado bom da crise

Oportunidade na crise: na gestão e na carreira, acomodação é pecado mortal


Aproveite o emprego para se desenvolver

Acompanhe as lições são para aqueles que querem aproveitar o emprego para se desenvolver.